05/09/2016

Invencíveis Beer

Ficar 34 jogos invictos não é mérito de um jogador apenas e sim de uma equipe. Para fazer a resenha dessa cerveja não poderia ser diferente. Convidamos um jornalista vascaíno de peso, ninguém mais ninguém menos que André Schmidt, o Garone, do Blog do Garone do Lancenet, conhecido pelos emocionantes e inspiradores textos após as partidas do Vasco. Primeiramente, obrigado Garone, a sua já deve estar a caminho. Apreciem sem moderação

Não há no mundo alguém que não tenha se sentido invencível após algumas cervejas. Intocado pela tristeza e banhado por nobreza. Entre goles e gols, os vascaínos se acostumaram a se sentir assim. Por 34 rodadas, daquelas que se pedem sem nunca querer a saideira, entre abraços amigos e brados embriagados, o Vasco se manteve. Ébrio de alegria. Por quase oito meses, a única ressaca conhecida pelas bandas de São Januário foi aquela acompanhada de um bom cheiro de churrasco e o delicioso gosto da vitória na boca. O acordar dos campeões. Durante mais de 200 dias, os vascaínos se embebedaram de invencibilidade. A invisível felicidade, degustável apenas por quem tem sensibilidade. Há quem diga que cerveja é amarga. Eu não tenho dúvidas que ser invencível é saboroso. A Invencíveis é. Tem gosto de vitória. Quem não gosta? 

André Schmidt (http://blogs.lance.com.br/garone/   Twitter @BlogDoGarone 

No contra rótulo

Ganhar um jogo, é pouco. Ganhar dois, é bom. Ganhar 34, é Vasco! Comandados pela dupla Jorginho e Zinho, noutro nível, só o impossível interessava ao Vascão que recuperou o prestígio perdido em 2015 sagrando-se Bi (tri) Campeão Carioca Invicto, atropelando mulambos, tricoflores e botachôros. Seguindo o novo acordo ortográfico, no dicionário da Colina a palavra derrota havia sido extinta. Nunca venderam tanta Colgate como nesses últimos 223 dias invictos. Era comum encontrar populares sorrindo na rua sem motivo aparente com dentes brilhantes, e você já sabia para qual time o felizardo torcia. Mas a grandeza desse grupo, foi muito além. Para não ultrapassar o recorde de vitórias do Expresso da Vitória, no dia 11 de junho, humildemente deixam o adversário vencer encerrando a invejada sequência. Solta a batida, DJ: fazendo alegria de multidões Vascão ostentando seus culhões, rival se estressa, estou noutro nível, só cume interessa, sigo invicto... meu amor, sigo invicto, invicto...

Invencíveis Beer é uma Sainson com 7,6% de álcool, ou seja, boa bagarai.


5 comentários:

  1. Como faz para adquirir uma cerveja desta?

    ResponderExcluir
  2. Queria muito comprar uma
    Vascaíno em Curitiba com saudades de São Januário!

    ResponderExcluir
  3. Templários Vascaínos14 de setembro de 2016 14:14

    Amigos vascaínos, infelizmente não vendemos nossas cervejas. Elas são feitas de forma artesanal, em pouca quantidade (60 litros), para consumo próprio. Agradecemos imensamente o contato, mas ficaremos devendo.

    ResponderExcluir